Minas Gerais

Realizada segunda Audiência Pública para concessão da Rodoviária de BH, terminais e estações do Move metropolitano

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) realizou, nesta quarta-feira (13/10), a segunda Audiência Pública, desta vez no formato presencial, do projeto de concessão do Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip) e de cinco terminais e 17 estações do Sistema Move Metropolitano. A sessão ocorreu no Auditório do Tergip, no Centro de Belo Horizonte, e também foi transmitida pelo canal da Seinfra no Youtube.

Na abertura da reunião, o subsecretário de Transportes e Mobilidade da Seinfra, Gabriel Fajardo, enfatizou a importância estratégica do projeto. “O Governo do Estado tomou a decisão de fazer essa licitação conjunta por entender que há uma sinergia significativa entre os equipamentos e que essa é uma oportunidade de melhorar a gestão e operação dos terminais metropolitanos”, explicou. 

Seinfra / Divulgação

Durante a sessão, também foram colhidas contribuições de participantes previamente inscritos. As colocações serão analisadas e seu eventual aproveitamento integrará o Relatório Final da Audiência Pública, que será disponibilizado no site da Seinfra e da Unidade PPP do Governo de Minas Gerais.

Leia Também:  Fhemig abre processos seletivos e chamamentos emergenciais

Consulta Pública

Está em andamento a consulta pública do projeto. Sugestões, contribuições e questionamentos sobre o modelo proposto podem ser encaminhadas para o e-mail [email protected] até as 23h59 do dia 22/10/2021.

A documentação completa, bem como o formulário modelo de questionamentos e o regulamento com a forma de participação, estão disponíveis no site da Seinfra e também na página da Unidade de PPP de Minas Gerais (www.parcerias.mg.gov.br).

Concessão

A concessão do Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Tergip), em Belo Horizonte, e dos cinco terminais e 17 estações do Sistema Move Metropolitano pretende viabilizar o aperfeiçoamento no nível geral dos serviços por meio da modernização e gestão da infraestrutura já existente e associada, otimizando a circulação e o acesso os ônibus do transporte coletivo.

Com prazo de 30 anos, a expectativa é que, neste período, sejam investidos cerca de R$ 116 milhões pelo futuro operador.

Além disso, de acordo com cálculos da Seinfra, a concessão terá potencial para geração de aproximadamente 2.800 empregos diretos e indiretos, além da arrecadação de R$ 17,5 milhões em impostos.

Leia Também:  Sistema de Inteligência de Segurança Pública ganha reforço institucional

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Minas Gerais

Mais de 50 postos de combustível são fiscalizados pela Polícia Civil na capital

Publicados

em


PCMG / Divulgação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), atenta ao contexto de aumento do preço de combustíveis veiculares em decorrência da greve de caminhoneiros, recém-finalizada nessa sexta-feira (22/10), realizou operação em Belo Horizonte e Região Metropolitana para fiscalização de postos fornecedores. Foram 50 postos visitados pelos policiais civis.

A ação policial foi organizada a partir de denúncias de consumidores reunidas desde 21/10 pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), com relatos de preços abusivos cobrados por postos da capital e outras irregularidades, como ações de reserva e estocagem ilegal.

“A partir dos levantamentos, organizamos um roteiro para fiscalizações com quatro equipes do departamento, totalizando 50 policiais civis empenhados em ações operacionais e de inteligência”, explica o chefe do Departamento Estadual de Investigação de Fraudes, delegado Júlio Wilke.

Dois dos estabelecimentos fiscalizados em BH, localizados nas regiões Centro-Sul e Barreiro, apresentaram indícios de preços abusivos e serão investigados pela Decon. Um dos postos, inclusive, voltou o preço indicado no painel obrigatório com a chegada da polícia, com redução significativa de 30 centavos no litro do etanol e de 20 centavos no de gasolina.

Leia Também:  Reino Unido corre risco de segunda onda de covid-19 duas vezes maior

A titular da Decon, delegada Danúbia Quadros, informa que a PCMG continua atenta a novas denúncias que possam surgir nos próximos dias.

“Os responsáveis pelos postos que estamos investigando, se constatadas irregularidades, podem responder por crimes contra as relações de consumo, previstos na Lei 8137/90”, conclui.

As denúncias podem ser encaminhadas à polícia por meio do Disque Denúncia Unificado 181 ou 197. O sigilo é garantido.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA