EMOÇÕES

“Vida e morte em diálogo — Ciência e Fé conversam sobre as dimensões da existência” é tema de debate em Fórum mundial

Publicados

em

Nos próximos dias 19 e 20 de outubro de 2021, o Fórum Mundial Espírito e Ciência, promovido pela Legião da Boa Vontade (LBV), reunirá, às 19h30, em formato on-line, representantes da Religião e da Ciência para debater o tema “Vida e morte em diálogo — Ciência e Fé conversam sobre as dimensões da existência”.

 

Com tradução simultânea para o inglês, o espanhol e a Libras, este importante espaço tem como um de seus objetivos “promover o intercâmbio entre o conhecimento científico e as várias tradições religiosas sobre o Espírito do ser humano” e, nesta edição, contará com a participação dos seguintes palestrantes:

 

Dia 19 de outubro (terça-feira)

Dr. Raymond Moody — Médico psiquiatra norte-americano e Ph.D. em Filosofia. Pioneiro na pesquisa de experiências de quase-morte (EQMs); Dra. Helané Wahbeh Diretora de pesquisa do Instituto de Ciências Noéticas e professora assistente adjunta do Departamento de Neurologia da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon, nos Estados Unidos. Atual presidente da Parapsychological Association; Andréa de Jesus — Pregadora Ecumênica da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo e Missionária de Desenvolvimento Apostolar; Prof. Dr. Ramon Moraes Penha — Professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, mestre em Enfermagem e doutor em Ciências pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem na Saúde do Adulto da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP); e Rodrigo Alvarez — Jornalista e escritor.

Leia Também:  TORNEIO LEITEIRO NA EXPOAL 2019

 

Dia 20 de outubro (quarta-feira)

Dr. Jim Tucker — Professor de Psiquiatria e Ciências Neurocomportamentais na Universidade da Virgínia (EUA), onde deu continuidade ao trabalho de investigação do Dr. Ian Stevenson com crianças que relatam memórias de vidas anteriores e as lembranças pré-natais e do nascimento; Sandra Maciel — Psicóloga e doutoranda pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). É integrante do Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde (Nupes), na UFJF; Maria das Graças Nascimento — Coordenadora do Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro/RJ e integrante da Sociedade Teosófica; e Renato Prieto — Ator e diretor teatral. Um dos expoentes na dramaturgia brasileira, atuou em Nosso Lar, onde interpretou o protagonista da história, André Luiz. O filme é uma adaptação cinematográfica do livro homônimo psicografado pelo médium brasileiro Chico Xavier (1910-2002).

 

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas acessando o link: https://www.forumespiritoeciencia.org/inscricao/. Há a opção de certificado por um valor acessível, com o total de horas para contabilizar em atividades curriculares e universitárias.

Leia Também:  SIMPLESMENTE MÃE!

 

O Fórum

Criado por Paiva Netto, diretor-presidente da Legião da Boa Vontade, o Fórum Mundial Espírito e Ciência teve sua primeira edição realizada entre os dias 18 e 21 de outubro de 2000, no Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, em Brasília/DF, debatendo o tema “Ciência e Fé na trilha do equilíbrio”. Reuniu inúmeros cientistas, religiosos, pesquisadores e estudiosos, do Brasil e do exterior, para apresentarem suas visões acerca do possível e necessário intercâmbio entre os campos do saber. Diante do sucesso e da grande repercussão alcançada por essa iniciativa, o Fórum tornou-se uma atividade permanente.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

EMOÇÕES

Antônio Vinico completa 99 anos!

Publicados

em

O senhor Antônio Vinico é um dos poucos homens no mundo que atravessou duas pandemias, passou pela Segunda Guerra Mundial e viu suas terras serem alagadas pelo Lago de Furnas.

Falar de um homem honrado e cheio de bons adjetivos, além de ser prazeroso nos traz alegria nos dias atuais. Nasceu em 09 de junho de 1922, em meio a pandemia da gripe espanhola, contraiu-a em sua infância e sobreviveu. Hoje está enfrentando outra pandemia, depois de um século. Seu Antônio também viu a Segunda Guerra Mundial. Viu e sentiu. Afinal seu irmão José Vinico fez parte do grupo de brasileiros convocados para a base do Rio de Janeiro.

Criado no município de Carmo do Rio Claro, no bairro do Espinheiro, desde sua infância trabalhou na terra e nos engenhos, com destaque para a produção de rapadura junto dos pais: Antônio Avelino Alves e Mariana Cândida de Jesus e de seus 6 irmãos (José Vinico, Ilsolina, Sebastiana, Josina, Ana e Maria, a única viva, que reside em São Paulo).  Nessa época enfrentaram geadas, de pés descalços à luz do luar, moendo a cana e apurando o doce da famosa rapadura artesanal. Como distração tinha o prazer de fazer brinquedos e utensílios de madeira.

Em 24 de setembro de 1949 ele se casou, com o seu grande amor e deu início a uma grandiosa família ao lado da senhora Maria Cândida Avelino, a religiosa dona Maria, “esteio daquele lar”, nas palavras do próprio Antônio Vinico.  Juntos tiveram os primeiros 5 filhos (de um total de 10 que viria pela frente). José, Antônio, Francisco, Ana e Luiz nasceram no bairro rural Espinheiro, município de Carmo do Rio Claro.

Tempos depois essa mesma região seria tomada pelo Lago de Furnas para a construção da exuberante hidrelétrica, obra de impacto grandioso, sobretudo na vida do senhor Antônio Vinico.  Suas terras e de seus irmãos foram desapropriadas e  tiveram que procurar outro lugar para viver, para assim recomeçar e seguir em frente, porém o desânimo nunca o atingiu.

Senhor Antônio Vinico em uma das inúmeras reuniões com os filhos!

Em 15 de novembro de 1960 fincaram raízes no bairro rural Soquete/Angola, município de Alpinópolis. De imediato a mudança causou estranheza, mas nada que impedisse a permanência e a continuação do trabalho na lavoura e no engenho. Pouco tempo depois a família continuou crescendo, com a chegada de mais uma filha, Alice e das irmãs gêmeas Leonarda e Geralda, uma surpresa para todos (na época não havia acesso a esse diagnóstico de forma antecipada).  Logo após viria Maria das Graças, essa muito especial, com uma rara doença. Na época era difícil diagnosticar. A luta foi dura, não tinham recursos. Precisavam se locomover para Ribeirão Preto e contavam com a presteza e bondade de parentes e amigos como por exemplo, José Lucas da Silva e José Carlos de Faria.

Leia Também:  VAQUINHA SOLIDÁRIA. AMIGOS SE UNEM PARA ANGARIAR DOAÇÃO PARA APAE

“Amigo nunca abandona um amigo. A gente sabe quando é pra vida toda. Os verdadeiros estão sempre do nosso lado quando o mundo parece estar contra. E assim é a minha amizade com o Antônio; sincera, alegre, verdadeira e pra eternidade. Queria muito poder abraçar ele nesse dia tão especial, mas como não podemos espero que as minhas palavras possam levar um pouco da minha gratidão por tudo que vivemos juntos.” disse José Lucas, hoje empresário e morador de São José da Barra.

Em Ribeirão Preto para cuidar da saúde da filha eram acolhidos pelo escritor e advogado, Antônio Carlos de Faria.

“Falar bem de Antônio Vinico é muito fácil para mim. Esse homem teve sua vida pautada na honestidade, na bondade e no amor, de tal forma que tenho certeza que ninguém irá discordar do que estou dizendo.
Não é atoa que Deus o premiou com tantos anos de vida porque o mundo precisa de pessoas assim que saibam viver o amor.
Foi com seu amor e de sua esposa Maria que constituíram uma linda família pela qual tenho muito amor e consideração. Além do mais Antônio Vinico é meu compadre. Felicidades meu compadre e que tenha ainda muita vida pela frente. ” Afirmou o amigo.

Mesmo com todo o apoio dos amigos e da família seu Antônio sentiu no peito a dor da morte. Com pouco mais de um ano, no dia 26 de fevereiro de 1974 sua filha morreu. Em abril do mesmo ano por fim nasceu a filha caçula, Rosimeire, que atualmente é professora na Escola Municipal Horácio Pereira Damásio.

Leia Também:  TRANSFORMAR DOR EM VITÓRIA

Seu Antônio Vinico construiu uma vida em torno da família, do trabalho e dos amigos. Bom marido, pai exemplar, avô amoroso e pronto para servir a todos.  Também é caridoso e admirador da política e do futebol. Mas sua preferência era mesmo o truco, saboreava muito as vitórias.

Atuou também como tesoureiro do sindicato dos trabalhadores de Alpinópolis, contribuindo para o crescimento do município. Participava com alegria das comemorações em família e fazia questão de reunir todos nos finais de semana, com um farto almoço e boa prosa.

Em 27 de dezembro de 2008, seu Antônio Vinico tem um dos maiores baques de sua vida: perde sua companheira e esposa, Dona Maria. Ela sofreu um AVC, na saída de uma Celebração Eucarística na Igreja Matriz de São Sebastião, falecendo no dia seguinte.  Hoje, mesmo acamado, é muito bem cuidado e cercado do amor que distribuiu em abundância por onde passou.

Senhor Antônio com a amada neta Luiza (im memorian)

Um dos maiores ensinamentos, relata os filhos, foi com uma frase que sempre dizia:

“Vocês precisam zelar pelo seu nome, porque se perder o nome vocês não têm nada”.

A trajetória de Antônio Vinico nos leva a uma constatação. Seja honesto, prestativo e caridoso e tenha alegria de viver, pois o resto Deus abençoa!

 

Senhor Antônio com a filha caçula, Rosimeire Avelino

 

Texto Original /Jornalista  Paulo Vaz

Texto Adaptação e Supervisão/ Alex Cavalcante Mochila

Pesquisa, roteiro e fotos/ Rosimeire Avelino

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA