Minas Gerais

Empresa de parque logístico anuncia investimento de R$ 750 milhões no estado

Publicados

em


O Governo de Minas, por meio da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), atraiu mais um grande investimento para o Sul do estado: o terceiro maior centro logístico do país, o BWP Business Park – Extrema. A iniciativa vai movimentar R$ 750 milhões e gerar 6.500 empregos diretos.  

Serão estabelecidos dois parques logísticos de e-commerce, somando oito galpões construídos em 400 mil metros de Área Bruta Locável (ABL), o correspondente a 38 campos de futebol.

Os dois condomínios que vão abrigar os empreendimentos estão em fase de construção. O primeiro galpão do projeto 1 será entregue ainda neste mês e os galpões do projeto 2, até meados de 2022.  

O protocolo de formalização do investimento foi assinado e o projeto segue em implantação, reiterando o compromisso do Governo de Minas com a retomada do desenvolvimento econômico no estado.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, destaca que o Indi tem trabalhado para mostrar para empresas desenvolvedoras, de comércio eletrônico e operadores logísticos o potencial mineiro. 

“Esse investimento vem consolidando, ainda mais, Extrema como um dos grandes celeiros de e-commerce nacional, uma vez que o município oferece infraestrutura para melhorar toda essa capacidade de armazenamento logístico e escoamento de produção. A iniciativa pavimenta a vinda de outras iniciativas e segue a linha de sucesso do município e de todo o estado de Minas Gerais no esforço de atrair novas empresas”, explica o secretário.

Leia Também:  Romeu Zema participa de assinatura de ordem de serviço da BR-367

Empreendimento de ponta

O projeto, encabeçado pela BlackWall assessoria de captação de recursos e real state, tem a Diase como construtora especializada em centros de distribuição e indústrias e leva a assinatura do arquiteto Alcindo Dell’Agnese, que tem no currículo grandes empreendimentos pelo Brasil.

Os dois condomínios são considerados projetos de ponta no país, com galpões que captam energia fotovoltaica e tecnologia de reuso de água, além de arquitetura moderna baseada em parâmetros internacionais de sustentabilidade e certificação internacional LEED Gold que promete revolucionar o mercado de logística do Sul de Minas Gerais, de acordo com o diretor-presidente da BlackWall, Bernardo Werneck.

“Em termos de tecnologia e infraestrutura, o BWP Business Park – Extrema é um dos melhores condomínios logísticos do Brasil. Nossos inquilinos são de diversos setores e existem multinacionais de e-commerce que estarão conosco. Já fechamos com empresas e operadoras logísticas, como a Via Varejo, o grupo JSL Júlio Simões e a Frio Peças. O apoio do Indi foi fundamental para acelerar as aprovações e deixar toda a parte documental em ordem para atrair investidores”, completa.

Leia Também:  Anitta anuncia que foi liberada do hospital e comemora: "Olha a alta!"

Localização privilegiada

Considerado o principal hub de e-commerce, o município de Extrema tem localização privilegiada, com acesso exclusivo à rodovia Fernão Dias e pontos de conexão a grandes centros consumidores. O diretor de Atração de Investimentos do Indi, Adriano Carvalho, afirma que o empreendimento consolida a cidade como um grande centro logístico de comércio eletrônico de Minas Gerais e do Brasil, já que o município responde por 25% da atividade do setor no país.

“O Indi vem trabalhando muito próximo de empreendimentos desse porte com o intuito de atrair grandes empresas do comércio eletrônico. Buscamos melhorar a qualidade de equipamentos logísticos para receber as iniciativas, dada a exigência cada vez maior do setor. Queremos que o exemplo de Extrema se expanda para o Triângulo Mineiro, o Norte e o Noroeste de Minas, para que empreendimentos ocupem outras áreas do estado com a mesma qualidade de atração de empresas de renome”, diz Adriano Carvalho.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Minas Gerais

Mais de 50 postos de combustível são fiscalizados pela Polícia Civil na capital

Publicados

em


PCMG / Divulgação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), atenta ao contexto de aumento do preço de combustíveis veiculares em decorrência da greve de caminhoneiros, recém-finalizada nessa sexta-feira (22/10), realizou operação em Belo Horizonte e Região Metropolitana para fiscalização de postos fornecedores. Foram 50 postos visitados pelos policiais civis.

A ação policial foi organizada a partir de denúncias de consumidores reunidas desde 21/10 pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), com relatos de preços abusivos cobrados por postos da capital e outras irregularidades, como ações de reserva e estocagem ilegal.

“A partir dos levantamentos, organizamos um roteiro para fiscalizações com quatro equipes do departamento, totalizando 50 policiais civis empenhados em ações operacionais e de inteligência”, explica o chefe do Departamento Estadual de Investigação de Fraudes, delegado Júlio Wilke.

Dois dos estabelecimentos fiscalizados em BH, localizados nas regiões Centro-Sul e Barreiro, apresentaram indícios de preços abusivos e serão investigados pela Decon. Um dos postos, inclusive, voltou o preço indicado no painel obrigatório com a chegada da polícia, com redução significativa de 30 centavos no litro do etanol e de 20 centavos no de gasolina.

Leia Também:  Governo de Minas anuncia escala de pagamento de janeiro de 2021

A titular da Decon, delegada Danúbia Quadros, informa que a PCMG continua atenta a novas denúncias que possam surgir nos próximos dias.

“Os responsáveis pelos postos que estamos investigando, se constatadas irregularidades, podem responder por crimes contra as relações de consumo, previstos na Lei 8137/90”, conclui.

As denúncias podem ser encaminhadas à polícia por meio do Disque Denúncia Unificado 181 ou 197. O sigilo é garantido.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA