Minas Gerais

Produção de marmelo pode ganhar novo impulso em MG

Publicados

em


A produção de marmelo, que já foi uma importante atividade da agricultura em Minas Gerais, tem tudo para ganhar novo impulso nos próximos anos. A Emater-MG e a Universidade Federal de Lavras (Ufla) estão com um projeto que pode alavancar novamente a atividade, usado prioritariamente na fabricação do doce, conhecido como marmelada.
 
A parceria teve início após convite da universidade para que a Emater paticipasse de trabalho para avaliar o comportamento de diversas variedades de marmeleiros.

A ideia também é ajudar no resgate da cultura tradicional e que vem entrando em decadência ao longo dos anos. A atividade já deu a Minas Gerais o título de maior produtor de marmelos do país, nas décadas de 1960 e 1970, em municípios como Virginia, Marmelópolis, Delfim Moreira, Maria da Fé e Cristina, localizados na região da Serra da Mantiqueira, no Sul de Minas.

Proposta

Estão sendo distribuídas de seis a sete cultivares de marmeleiro a produtores de dez municípios mineiros. São 23 mudas de cada cultivar, totalizando 161 mudas que cada um dos agricultores vai plantar em sua propriedade.

As frutíferas de marmelo serão monitoradas por técnicos da Emater e acadêmicos da Ufla. A proposta é que os produtores disponibilizem as áreas de cultivo para servirem de unidades demonstrativas e unidades de observação dessas espécies.
 
Segundo o coordenador técnico estadual de Fruticultura da Emater, Deny Sanábio, o desenvolvimento das variedades será monitorado nos municípios de Coimbra, Conceição do Mato Dentro, Soledade de Minas, Coqueiral, Delfim Moreira, Marmelópolis, Lagoa Dourada, Rezende Costa, Machado e São João do Paraíso.

“A gente espera determinar quais são as variedades de melhor comportamento, desenvolvimento, produção, tamanho e peso do fruto. E, no futuro, vamos poder estabelecer quais delas são recomendadas para as diferentes regiões do estado”, explica Sanábio.

Tradição
 
O município de São João do Paraíso é o único, entre os participantes do projeto, que vai abrigar três unidades demonstrativas da pesquisa. Elas vão sediar eventos como dias de campo, cursos com a demonstração de poda, adubação e colheitas, entre outras práticas.

Leia Também:  Governo de Minas define medidas temporárias de prevenção ao contágio de covid-19 no Poder Executivo estadual 

“O marmelo é tradicional nesse município e precisamos resgatar a cultura que enfrenta problemas fitossanitários. Então, outras variedades estão indo pra lá. Vamos ver quais são menos suscetíveis a doenças. A que está lá hoje é a da variedade Portugal”, informa Deny Sanábio.
 
O professor de Fruticultura de Clima Temperado do Departamento de Agricultura da Escola de Ciências Agrárias (Esal), pertencente a Ufla, Rafael Pio, informa que as mudas são frutos de um trabalho na instituição há 20 anos. O resultado foi a formação de um banco de germoplasma, que hoje contém 31 cultivares de marmeleiro e é considerado o maior da América Latina.
 
Pesquisa
 
Segundo Rafael Pio, as pesquisas com marmeleiro resultaram numa série de trabalhos científicos, visando o aprimoramento e o incentivo do cultivo da frutífera. “O trabalho começou em nível de competição de cultivares para definir as mais produtivas. Desenvolvemos ações tanto no município de Jundiaí, no Leste paulista, como em Lavras, em 2016. As pesquisas geraram várias dissertações em mestrado e teses de doutorado.
 
O intuito é fazer uma avaliação científica dessas mudas e, junto com a Emater, a divulgação técnica. Queremos incentivar novos produtores e validar essas cultivares de potencial para a diversificação da marmelocultura mineira que, até então, se baseia em uma única cultivar, o marmeleiro Portugal”, esclarece.
 
“Agora a gente quer incentivar a atividade, entrando com cultivares que produzam mais frutos e sejam mais resistentes às principais doenças que incidem sobre o marmeleiro”, justifica o acadêmico da Ufla. As sete variedades de marmelo que estão sendo testadas são: Portugal, Bereckey, Alongado, Fuller, Smyrna, Alaranjado e Reas Mamouth.
 
Doce
 
Muitas famílias já viveram do cultivo do marmeleiro e o estado chegou a ter 27 agroindústrias processadoras de marmelo. Entre elas grandes produtoras de marmelada como a Cica, Peixe e Colombo, famosas na época. Mas com o passar dos anos, por problemas fitossanitários das plantas e pela introdução de outros doces no mercado, como a goiabada e o doce de batata, a produção e o consumo de marmelada foi caindo.
 
A década de 1970 foi o apogeu e o começo do fim da marmelocultura em Minas Gerais, que até então exportava marmelada. Os municípios de Delfim Moreira, Maria da Fé e Marmelópolis, cujo nome é uma referência ao grande volume de produção de marmelo, abrigavam a maioria das fábricas do doce no estado, entre grandes e pequenas agroindústrias familiares. Mas ano a ano o cultivo e produção foram reduzindo.
 
Conforme Deny Sanábio, em 1967, o estado tinha 7.582 hectares de plantio e produção de 11,5 mil toneladas de marmelo. Em 1994, as lavouras ocupavam 1.097 hectares, com uma produção de 1.632 toneladas. Já em 2002, o plantio era de 170 hectares e produção de 677 toneladas, chegando ao ano de 2021 com 55 hectares de plantio e produção de 360 toneladas de marmelo.
 
“Esses números caíram muito rapidamente, em função de doença como a entomosporiose, provocada pelo fungo entomospoium sp e pela entrada de novos doces no mercado”, afirma.
 
Marmelo
 
O marmeleiro tem como centro de origem o Oriente Médio. Sendo de clima temperado, o marmelo é bastante exigente em tratos culturais. O plantio é feito por estacas enraizadas das cultivares eleitas para exploração ou por enxertia de variedades de copa em porta enxertos da cultura.
 
Os frutos raramente são consumidos in natura, sendo industrializados para a produção de marmelada, mas podendo ser usados em geleias, sopas, licores, xaropes e em pratos salgados finos. Um dos componentes do marmelo, a pectina, pode ser empregada em produtos farmacêutico e de perfumaria.

Leia Também:  Presos trabalham em confecção de roupas e peças jeans

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Minas Gerais

Saiba como ajudar e onde entregar doações para os atingidos pelas chuvas em Minas

Publicados

em


O Governo de Minas, por meio do Serviço Social Autônomo (Servas), intensifica esforços para a campanha SOS Chuvas Minas Gerais. O objetivo é receber doações destinadas à população atingida pelas fortes chuvas que castigaram os municípios do estado. A prioridade agora é arrecadar água potável, alimentos não perecíveis, material de higiene pessoal, colchões e cobertores. Uma força-tarefa envolvendo a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec) e as forças de segurança está recolhendo o material e prestando ajuda humanitária aos afetados.

Desde o início do período chuvoso em Minas, em outubro de 2021, 25 pessoas morreram, 47.911 ficaram desalojadas e 7.336 desabrigadas (dados atualizados em 17/1). As informações foram divulgadas pela Cedec. Até o momento, 377 cidades estão em situação de emergência.

Saiba como e onde doar 

As doações podem ser entregues diretamente na sede do Servas, na Avenida Cristóvão Colombo, 683, no bairro Funcionários, em Belo Horizonte, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Neste momento, a doação de roupas está suspensa devido ao grande número de material recebido nos últimos dias. Os itens de maior necessidade são água potável, alimentos não perecíveis, material de higiene pessoal, colchões e cobertores. Mais informações podem ser acessadas nas redes sociais da instituição, no site www.servas.org.br ou pelo telefone (31) 3349.2400.

Para doações em dinheiro, os dados para transferência são:

Serviço Social Autônomo
CNPJ: 17.385.840/0001-12
Caixa: Ag. 1667 / CC: 3529-1
Pix: +5531991630836

Os donativos também podem ser entregues na rede de supermercados Verdemar, no BH Shopping, Shopping Diamond Mall e Shopping Pátio Savassi, em todos os batalhões, quartéis e bases comunitárias de Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Delegacias de Polícia Civil de Minas Gerais e em pontos de coleta da Cemig. Confira os endereços:
 

  • Todos os batalhões, quartéis e bases comunitárias de Polícia Militar de Minas Gerais
  • Todos os batalhões do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais
  • Todas a Delegacias de Polícia Civil de Minas Gerais
Leia Também:  Floradas decepcionam e perspectivas da produção de café no Sul de Minas são pessimistas

Agências da Cemig

1. Ipatinga (Rua Uberlândia, nº 321, Centro )

2. Itabira  (Rua Topázio, 45, Areão)

3. Paracatu (Rua Matias Mundim, 337, Santa Lúcia)

4. Varginha  (Rua Presidente Antônio Carlos, 538, Centro)

5. Divinópolis (Rua Itapecerica, 151, Centro)

6. Pará de Minas (Rua João Alexandre, 670, Dom Bosco)

7. Montes Claros  (Rua Padre Augusto, 550, Centro)

8. Almenara (Rua Hermano de Souza, 214, Centro)

9. Teófilo Otoni  (Praça Germânica, 16, Centro)

10. Salinas (Avenida Frederico Leão Bitencourt, 64)

11. Januária (Avenida Cônego Ramiro Leite, 17, Centro)

12. Uberlândia (Avenida João Pinheiro, 1373, Aparecida)

13. Patos de Minas (Avenida Prefeito Camundinho, 861, Lagoa Grande)

14. Pouso Alegre (Praça João Pinheiro, 194, Centro)

15. Betim (Praça Tiradentes, 84)

16. Edifício Sede da Cemig em Belo Horizonte  (Avenida Barbacena, 1200, Santo Agostinho)

Pátio Savassi

Avenida do Contorno, 6061 – São Pedro

Diamond Mall

Avenida Olegário Maciel, 1600 – Lourdes

BH Shopping

BR-356, 3049 – Belvedere

Lojas Supermercado Verdemar

  • Rua Fernandes Tourinho, 471 – Funcionários
  • Rua do Ouro, 195 – Serra
  • Rua Vancouver, 40 – Jardim Canadá
  • Rua Guaicuí, 700 – Luxemburgo
  • Rua Viçosa, 572 – São Pedro
  • Rua Turquesa, 721 – Prado
  • Av. Nossa Sra. do Carmo, 1900 – Sion
  • Av. Raja Gabáglia, 3600 – Estoril
  • Av. Prof. Mário Werneck, 1.500 – Buritis
  • Av. Santa Rosa, 846 – Pampulha
  • Av. Tancredo Neves, 2700 – Castelo
  • Av. Cristiano Machado, 2130 – Cidade Nova
Leia Também:  Governo de Minas define medidas temporárias de prevenção ao contágio de covid-19 no Poder Executivo estadual 

Super Nosso

  • Super Nosso Lourdes – Rua Gonçalves 1979 Lourdes
  • Super Nosso Castelo – Av. Heráclito Mourão de Miranda 1700 Castelo
  • Super Nosso Luxemburgo- Av. Guaicui 355 Coração de Jesus
  • Super Nosso Nova Lima Rodovia MG 30 Loja 18 Vale do Sereno Nova lima
  • Super Nosso Planalto- Av. General Olímpio Mourão Filho 717 Planalto
  • Super Nosso Pampulha- Av Portugal 2481 Santa Amélia
  • Super Nosso Cruzeiro- Av. Afonso Pena 3328 Cruzeiro
  • Super Nosso Buritis- Av. Mário Werneck 2641 Buritis
  • Super Nosso  Xua-  Rodovia BR 356 450

Apoio Mineiro

  • Apoio Mineiro Floramar– Av. Cristiano Machado 10.768 Floramar
  • Apoio Mineiro Aarão Reis- R. Waldomiro  Lobo 133 Aarão Reis
  • Apoio Mineiro Silva Lobo – Av. Silva Lobo 900 Nava Suíça
  • Apoio Mineiro Horto- Silviano Brandão 3001 Horto
  • Apoio São Francisco- Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo 17.850 Sumaré

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA