conecte-se conosco


ALPINÓPOLIS E REGIÃO

Será que Alpinópolis tem motivos para comemorar o Dia do Meio Ambiente?

Publicados

em

Hoje, 05 de junho, celebramos o dia Mundial do Meio Ambiente. Em Alpinópolis não temos muitos motivos para comemorar. Não há políticas públicas de Meio Ambiente, o Plano Municipal de Saneamento Básico está precisando ser atualizado desde 2019 e não vem sendo executado, também há um descaso alusivo às nascentes e áreas de preservação permanente e o nosso lixo ainda é descartado incorretamente em um espaço a céu aberto.
Há estudos específicos, que dizem que cada cidade, deveria ter no mínimo 12 metros de copa de árvore por habitante, o que fica muito aquém de nossa realidade e prejudica as nossas necessidades físicas, emocionais e mentais.

O que vemos aqui é cada vez mais supressão de vegetação e desmatamento, e nenhuma medida mitigadora vem sendo executada para suprir essa essa carência ambiental. Nos últimos anos o aumento significativo da temperatura global e a falta de chuva causaram muitas doenças respiratórias provocando o aumento do custo na saúde pública.

Ainda falta muita consciência humana e algumas pessoas ainda não entenderam a importância da sustentabilidade, e de que o crescimento de nosso município deve ser equilibrado, econômica e ecologicamente, sempre buscando a sustentabilidade como base do desenvolvimento.

No ano passado um grupo de voluntários tentou resgatar a preservação do local. Várias mudas foram doadas por um alpinopolense que mora em Guaxupé e defende o meio ambiente.

Gruta – Foto retirada de redes sociais!

No nosso lixão, chamado de aterro controlado, não possui nenhum controle, os lixos e resíduos são enterrados sem nenhum tratamento, poluindo o solo, as águas e o ar, atrai animais que podem causar doenças e sua capacidade receptora está esgotada.

Leia Também:  Macrorregiões Norte, Sul, Sudeste e Jequitinhonha avançam para onda vermelha do Minas Consciente

Nos últimos 2 anos foram plantadas em Alpinópolis mais de 500 espécimes arbóreas para atrair a fauna urbana e preservar as espécies, dessa maneira trazendo beleza e vida para nossas ruas e praças, porém, mesmo com todo o cuidado humano infelizmente algumas árvores estão morrendo, como é caso de um espécie de PAU BRASIL na praça São Benedito.

Sabendo que apenas 13% de todo resíduos que produzimos deveria ser descartado como lixo e que 87% podem ser reutilizado, reaproveitado e reciclado e que uma política voltada “pra” esse aspecto resolveria o problema econômico de várias famílias, através de cooperativa, associação e união dos catadores de recicláveis vale acreditar  que um bom planejamento para arrecadar o ICMS ecológico e colocar em prática essas ações teríamos motivos para comemorar uma melhor qualidade de vida para as gerações futuras.

Outra fonte de renda ambiental é paga pela  COPASA, que passa todos os meses, desde o ano de 2019, um valor considerável, que é uma porcentagem do que as pessoas pagam pela cobrança da água e do tratamento de esgoto, para os cofres públicos. Esse recurso deveria ser usado para ações de sustentabilidade e para resolver questões ambientais. Recentemente o munícipio recebeu uma investimento para a aquisição de um caminhão para coleta seletiva do lixo e que em breve será licitado e comprado com esses impostos pagos pela população. Esse caminhão é extremamente importante para a cidade, mas ainda é pouco perto do que podemos fazer pela natureza.

Leia Também:  Carro utilizado em assalto seguido de assassinato tem placas de Alpinópolis

Infelizmente ainda temos muito que aprender com a natureza, mesmo com essa grande pandemia que surgiu em 2019 e que faz com que os governos meritoriamente priorizem a vida, deparamos com o desrespeito ao meio ambiente. O homem ainda precisa aprender cuidar das espécies nativas e seus espaços naturais e principalmente respeitar o lugar que vivemos.

Da forma que está ainda haverá muitas outras doenças e eventos devastadores, afinal as leis da natureza não perdoam e o nessa seara o dinheiro não tem poder algum sobre a vida!

Texto feito por Ederaldo Silva Leandro – Biólogo

 

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

O portal Gmais entrevistou Alex Cavalcante, pré-candidato a deputado federal pela região!

Publicados

em

Essa semana entrevistamos o pré-candidato a deputado federal e presidente da Câmara de Alpinópolis, Alex Cavalcante Gonçalves, popular Mochila, do PSDB. Ele já pautou mais de 50 projetos na casa de leis e ganhou destaque regional pela sua oratória, preparo, carisma e simplicidade.

Através do bom relacionamento com o governo já conseguiu conquistas históricas para o município, como por exemplo, o UAI COMPARTILHA, articulação para implantação do Sebrae, emendas para a educação, recursos para a saúde, para segurança pública e também para o Esporte.
Preocupado com a região tem levantado demandas importantes para várias cidades. Traz  pautas importantes para os usuários da MG 050 e BR 265, para os produtores rurais e para o Turismo.

Alex tem muita afinidade com o vice-governador Paulo Brant, com a secretária de Gestão do Estado, Luísa Barreto, com a Segov e principalmente com o deputado estadual Dalmo Ribeiro. Apresenta-se como um excelente quadro, com apoio incondicional da legenda tucana!

Carrega uma boa bagagem na vida pública, mas também já trabalhou em grandes empresas, como Cooxupé, Laticínios Sanmariana, Concessionária Somassey, Cooperativa de Crédito Sicoob, Banco do Brasil e Correios.

Em Alpinópolis foi chefe de Agricultura e Meio Ambiente, Chefe De Cultura e Diretor de Esportes e Turismo.
Em São José da Barra Alex foi assessor do ex-prefeito, Dr. Carlos Luciano Bazaga. Também prestou serviço na assessoria de imprensa da prefeitura de Serrania e foi assessor parlamentar na Assembléia Legislativa.
Esteve vice-presidente do Circuito Turístico Nascentes das Gerais, Delegado Estadual do Direito da Pessoa Idosa, onde representou o Estado de Minas na conferência nacional em Brasília.

Foi presidente do Conselho de Segurança e do Conselho do Idoso e se destacou como repórter e apresentador de Rádio e TV, época que percorreu mais de 400 cidades mineiras!
Ele tem 40 anos é formado em Tecnologia Agropecuária, cursou Comunicação Social (incompleto) e atualmente está no científico de Gestão Pública.
Confira e se gostar compartilhe a entrevista do nosso convidado da semana!

 

Como você conseguiu tanto sucesso regional presidindo uma câmara no interior?

Fazendo o que é certo. Sendo coerente nas decisões e nunca defendendo algum lado político. Pautar os projetos pensando na ponta da corda. Pensando no Povo. Não tem mágica, tem compromisso. Precisamos na vida pública sermos pontes, até mesmo porque muros, temos de sobra! O povo é o meu patrão, o povo paga meu salário. Devo satisfação à população. Costumo dizer que sou um índio livre e não obedeço caciques!

Porque se lançou como pré-candidato a deputado federal?

Para mudar a realidade da nossa gente. Merecemos mais. E estou disposto a lutar para construir o projeto mais consistente para a nossa região, pautado em plataformas que somam com o que já temos.
Historicamente sentimos a ausência de mais lideranças que possam estar mais próximas das pessoas daqui. Minas é uma só, mas precisamos de resolver os nossos problemas locais.

Leia Também:  Macrorregiões Norte, Sul, Sudeste e Jequitinhonha avançam para onda vermelha do Minas Consciente

Sua cidade não tem capilaridade de votos. Como pretende atingir 40 mil eleitores na campanha ?

Minha cidade é um lugar fantástico. Quem não conhece Alpinópolis, deve ir e conhecer as maravilhosas serras, o nosso Monte das Oliveiras, a nossa culinária e principalmente o que temos de mais rico/ o Nosso Povo!
Sim, somos, cerca de 14 mil eleitores apenas. Mas, repito, minha pré-candidatura é um projeto de região. Não sou candidato de mim mesmo. O PSDB me lançou como um nome para liderar e representar as demandas regionais. É um grande grupo que deseja mudar de verdade a nossa realidade e reconstruir uma nova região. Nossa pré-candidatura está sendo construída com lideranças de mais de 50 municípios e acreditamos muito que poderá ser bem sucedida. Não posso e não vou defender as minhas ideias, vou defender a ideia dessa gente. Ser a voz que o povo precisa! E tem mais. Nós, de cidade pequena, sabemos da importância de valorizar cada canto de Minas. Cantos esses que podem ser pequenos, mas as pessoas devem constar nas políticas públicas, devem ser assistidas pelo Estado Democrático.
Precisamos de gente que tem raízes plantadas nesse chão! Na luta do tostão contra o milhão vou com a cara e com a coragem, junto com o povo e com temor a DEUS!

Lula ou Bolsonaro?

Fico com a paz e com o diálogo. Respeito todas as decisões partidárias, mas estou construindo uma pré-candidatura para representar o povo e não um presidente. Temos falhas estruturantes no país e a minha prioridade número zero é defender os interesses da população mineira cujas demandas antigas e urgentes foram deixadas de lado por nossos representantes.  As pessoas querem uma vida melhor e isso depende muito da ação política. Minha preocupação é regional!

Tem algum exemplo dessa falha estrutural?

O que mais temos são exemplos de falhas estruturais. Todo problema tem que ser resolvido na origem, não na consequência. Quando falamos de segurança pública precisamos de uma lei mais severa. Qual o maior medo do preso? O preso tem medo de trabalhar! É muito confortável para a população carcerário do país ser sustentada pelos pais de família e homens honestos da nação! Isso tá errado! É justo que o pai de família fique com a conta?
É justo defender a Educação e não valorizar quem está com giz na mão? É justo o preço do pedágio, da cesta básica, da gasolina, do remédio? Dá pra falar de falhas no país por 6 meses!

Leia Também:  Primeira pessoa vacinada contra COVID-19 em Passos

Quais bandeiras você vai defender?

Em 2009, antes da morte da minha irmã caçula, senti na pele o descaso da saúde pública e por isso não vou me prender a discursos encantadores que prometem zerar filas do SUS. Me recuso a usar a dor de uma pessoa para me promover, mas quero e vou trabalhar com um planejamento coeso. Se a gente falar de Saúde, por exemplo, não podemos admitir que uma pessoa doente espere dois, três ou mais dias para ser transferida pelo SUS Fácil, ou que um paciente da oncologia corra risco de ficar sem remédio. Temos que ter agilidade, desburocratizar a Saúde!O milagre da cura deve ser dos médicos e de Deus! Cabe aos políticos a responsabilidade com o orçamento público.
Bom saber que a  nossa região tem características para o Agronegócio, aptidão para o Turismo e para a Geração de Emprego e Renda, mas o produtor paga caro para colocar comida na nossa mesa. Podemos pensar de forma pragmática que esse nicho seja assistido. Ele é roubado o tempo todo, desde a escritura da fazenda até a comercialização do seu produto!
Sobre o Comércio e a Indústria nós temos como referência o Setor Moveleiro de Passos, a produção de cimento em Itaú, Arcos e Pains, sobre o Turismo temos o Lago de Furnas e a Serra da Canastra, no agronegócio destacamos a produção de leite e do café de Guaxupé e Paraíso!
“Um erro deve ser corrigido, e não punido” Eu tenho tanta confiança do que pode acontecer na nossa vida quando plantamos uma semente, que hoje eu vejo que esse dia chegou, o dia de colher as flores do meu próprio jardim!
Não podemos mais ser um país irresponsável, temos que pensar no que podemos fazer pelas pessoas.
Me falaram que eu não tenho dinheiro para ser candidato! Quem falou isso está certo, não tenho mesmo!
Porém não me importo se meu pai e minha mãe moram em uma casa simples. Me preocupo com o valores que aprendi com eles. Valores esses que me condicionam a lutar por todas as pessoas da nossa região, principalmente pelas crianças, usando como ferramenta o Esporte e a Educação, instrumentos que podem transformar a nossa história!

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA