Rural

Senar capacita novos instrutores do programa Negócio Certo Rural

Publicados

em


Brasília (04/05/2021) – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) promoveu a primeira formação da metodologia do programa Negócio Certo Rural em formato totalmente online para 22 novos instrutores de 10 estados.

O programa NCR é uma parceria entre Senar e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para passar aos produtores rurais conceitos de empreendedorismo, planejamento e administração e elaboração de planos de negócios.

A capacitação totalmente virtual, que aconteceu em abril, foi um projeto piloto, em razão da restrição de circulação devido à pandemia, conforme explica o assessor técnico do Senar, Mateus Tavares. 

“O treinamento foi estruturado no Ambiente Virtual de Aprendizagem com conteúdos e atividades, além disso, oito encontros virtuais foram programados. O treinamento superou as expectativas e aconteceu de maneira bastante participativa e colaborativa, com o máximo de interação entre os participantes. Consideramos que a experiência foi positiva e vai permitir que a instituição promova outras formações no formato virtual”.

Participaram instrutores do Senar dos estados do Acre, Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Tocantins.

Leia Também:  Auxílio emergencial: pagamentos da semana começam na 2ª; confira a programação

Um deles foi o instrutor Éden Soares, do Senar/PA, que ministra cursos da instituição nos municípios de Tucuruí, Parauapebas, Canaã dos Carajás, Marabá e outras localidades da região Sudeste do estado.

Éden em um dos treinamentos do Senar/PA
Éden em um dos treinamentos do Senar/PA

“Ao contrário dos cursos presenciais, a capacitação virtual deu oportunidade de conhecer e trocar experiência com pessoas de outras regiões, com realidades bem diferentes da minha. Isso vai enriquecer, inclusive, o meu trabalho em campo”, concluiu.

O curso Negócio Certo Rural é uma das capacitações disponibilizadas aos produtores rurais no formato online. Para saber mais, acesse o portal de educação a distância do Senar: http://ead.senar.org.br/

Assessoria de Comunicação CNA

Fotos Wenderson Araujo e arquivo pessoal

Telefone: (61) 2109-1419

youtube.com/agrofortebrasilforte

flickr.com/photos/canaldoprodutor

twitter.com/SistemaCNA

facebook.com/SistemaCNA

instagram.com/SistemaCNA

facebook.com/SENARBrasil

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rural

Vacinação contra peste suína clássica em Alagoas começa no dia 17

Publicados

em


Brasília (06/05/2021) – O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) inicia no próximo dia 17 a vacinação contra a Peste Suína Clássica em Alagoas, estado que ainda não é livre da doença e que servirá como um projeto piloto.

A ação faz parte do Plano Estratégico Brasil Livre de Peste Suína Clássica, apoiado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que pretende erradicar e trazer ao Brasil o status sanitário de país livre da doença.

Segundo a coordenadora de Produção Animal da CNA, Lilian Figueiredo, além de ser uma zona não livre da doença, Alagoas foi escolhido por possuir um rebanho pequeno.

“A ideia é vacinar em Alagoas agora e fazer um manual de vacinação para os demais estados com todas as ações que precisam ser feitas tanto pelo setor público quanto privado”, disse.

A Peste Suína Clássica não infecta seres humanos, mas é uma doença altamente contagiosa causada por um vírus que só ataca suínos. É fatal na maioria das vezes e causa grandes perdas para os produtores rurais.

Leia Também:  Auxílio emergencial: pagamentos da semana começam na 2ª; confira a programação

“No Brasil existem duas áreas: uma livre e uma não livre e existe um perigo de reinfecção na área não livre, que são as áreas mais exportadoras do País. Um trânsito ilegal, por exemplo, poderia levar um animal infectado de uma zona à outra. Por isso estamos fazendo esse piloto para tentar erradicar a doença no País,” ressaltou Lilian.

Os principais sintomas nos animais são febre alta, lesões avermelhadas na pele, conjuntivite, falta de apetite, fraqueza, diarreia, aborto e filhotes que nascem mortos. Os produtores que perceberem esses sintomas devem procurar a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) e fazer a notificação, que é obrigatória.

“Os produtores precisam ficar atentos ao calendário de vacinação por região em Alagoas, porque os agentes da Agência de Defesa Sanitária estão indo às propriedades rurais vacinar os animais”, destacou Lilian Figueiredo.

O uso da vacina contra Peste Suína Clássica na Zona não Livre da doença foi autorizado pela Instrução Normativa n.º 10/2020 do Mapa. Atualmente, toda a região Nordeste e parte da região Norte do Brasil são consideradas zonas não livre.

Leia Também:  ETANOL/CEPEA: Preços sobem, devido ao reaquecimento na demanda

Saiba mais sobre a doença, assista: 

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA