Geral

Municípios se mobilizam em favor da Santa Casa de Passos

Publicados

em

Por Cleber Martins

Por conta do agravamento da pandemia na região os prefeitos da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande – AMEG reuniram-se de forma extraordinária na sede da entidade em Passos. Estiveram presentes na tarde desta segunda-feira (29) os prefeitos e representantes de Alpinópolis, Capetinga, Carmo do Rio Claro, Cássia, Fortaleza de Minas, Guapé, Ibiraci, Itaú de Minas, Passos, Piumhi, Pratápolis, São João Batista do Glória e São José da Barra. Participaram via videoconferência prefeitos e representantes de Capitólio, Claraval, Doresópolis, Guapé, Pimenta, São Roque de Minas e São Tomás de Aquino.

Após uma reunião entre o prefeito de São José da Barra e presidente da AMEG, Paulo Sérgio Leandro de Oliveira, o Serginho, o prefeito de Passos, Diego Oliveira e a diretoria da Santa Casa de Passos foi verificada a necessidade de uma mobilização para socorrer o hospital e evitar um colapso por falta de leitos e medicamentos, além de uma preocupação quanto às equipes que atuam na estrutura que é regional.

Leia Também:  PRÍNCIPE DA PAZ: ALPINOPOLENSE QUE PARTICIPOU DO FILME FALA SOBRE ESSA GRANDE EMOÇÃO

Conforme Serginho, será de extrema importância que todos os municípios que dependem da estrutura da Santa Casa de Passos contribuam para que pacientes graves que precisem de leitos de enfermaria e leitos de UTI Covid-19 não fiquem sem atendimento. “Até aqui a Santa Casa tem nos ajudado muito recebendo nossos pacientes mais graves, mas, a demanda está tão grande que já há um risco de faltar medicamentos e leitos, tanto de enfermaria quanto de UTI. Então, nós temos que fazer um esforço conjunto e dar esse aporte, para que as equipes técnicas reorganizem a estrutura para que o hospital não entre em colapso”, explicou o presidente da AMEG aos colegas gestores.

Todos os 20 municípios participantes da reunião concordaram em contribuir com a Santa Casa de Passos. A meta é que se consiga reunir um montante próximo a um milhão de reais, o que, segundo o presidente da AMEG, seria o bastante para evitar um colapso em curto prazo.

A secretária de saúde de Pimenta, Linara Domingos, salientou a importância da mobilização em favor dos hospitais que enfrentam a lotação total de leitos. “Nossa luta é muito grande e todos temos que ajudar. O momento pede que seja criada uma verdadeira marcha para a saúde e a participação de todos os prefeitos é fundamental”, comentou.

Leia Também:  ANALISTA DO SEBRAE FABIANA RODRIGUES FALA SOBRE EMPREENDEDORISMO

“Nós estamos travando uma luta muito dura contra o Covid-19 e a Santa Casa tem sido uma parceira fundamental para os municípios. Se hoje nós podemos receber de volta nossos conterrâneos recuperados dessa doença, muito se deve aos cuidados desse hospital. Nós prefeitos estamos muito sobrecarregados, mas, nós vamos vencer essa guerra”, finaliza Serginho.

Apesar de não ser uma unanimidade, alguns prefeitos não descartam adotar nos próximos dias o lockdown em seus municípios como forma de diminuir o risco de contaminações e consequentemente piorar ainda mais a situação dos hospitais da região que atendem pacientes graves com COVID-19.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

RECEITA FEDERAL DOA 2,3 TONELADAS DE ROUPAS “PIRATEADAS” AO IFSULDEMINAS PARA FABRICAÇÃO DE MÁSCARAS CONTRA A COVID-19

Publicados

em

A entrega será hoje, 19/04, no Campus Muzambinho. As máscaras produzidas serão destinadas a doações.
Mais de 2,3 toneladas de roupas contrafeitas (“pirateadas”) apreendidas em operações da Receita Federal serão utilizadas na prevenção contra a COVID-19. Parte das peças serão transformadas em máscaras protetoras, que beneficiarão a população carente do sul de MG. A estimativa é de que milhares de máscaras serão produzidas e, posteriormente, doadas às Secretarias Municipais de Saúde, Secretarias Municipais de Ação Social, Habitação e Trabalho e, em especial, à população carente sul mineira A descaracterização das peças e fabricação das máscaras ficarão por conta do IFSULDEMINAS, em mais uma parceria com a Receita Federal.

A entrega das 2,3 toneladas será feita pela Receita Federal ao IFSULDEMINAS hoje, 19 de abril, em Muzambinho, no Campus do IFSULDEMINAS, às 11h da manhã. Estarão presentes o Delegado da Receita Federal do Brasil em Varginha, auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro e o Reitor do IFSULDEMINAS Prof. Marcelo Bregagnoli.

Além das quase 3800 peças, nesta quinta-feira, 15 de abril, outra doação foi feita pela Receita Federal ao IFSULDEMINAS: 160 mil litros de bebidas destiladas que serão transformadas em álcool gel 70%. Essas bebidas foram apreendidas em uma fábrica clandestina de cachaça em Montes Claros, em uma operação de fiscalização da Receita Federal e PMMG.

Leia Também:  Pré-candidato: AVANTE quer Alex Cavalcante!

Da origem criminosa para o destino solidário

As peças de vestuário foram apreendidas em operações de fiscalização da Receita Federal no sul de MG, que combatem o descaminho, ou seja, a importação de mercadorias sem o pagamento do imposto. O objetivo dessas operações é evitar a circulação, em território nacional, de produtos potencialmente nocivos à saúde e ao meio ambiente. Por se tratar de imitações de marcas conhecidas nacionalmente, os vestuários precisam ser destruídos. Uma das formas de destruição prevista na legislação é a descaracterização.

“Após ficarem prontas, as máscaras serão doadas a diversas entidades beneficentes, hospitais e associações mineiras. Essa é uma forma de respondermos à sociedade de forma solidária e também extremamente útil à prevenção da COVID-19, já que sabemos que o uso de máscaras é essencial durante a pandemia”, explica o Delegado da Receita Federal do Brasil no Sul de Minas, auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro.

Ainda de acordo com o auditor-fiscal, a destinação sustentável é prática crescente em Minas Gerais. “Além de abarcar os três pilares da sustentabilidade – econômico, ambiental e social -, essa destinação é também solidária, e busca, sempre que possível, ajudar a parcela da população que mais precisa da presença estatal. É mais uma forma de cumprirmos nosso propósito, sempre voltado para o bem comum e para o desenvolvimento coletivo”.

Leia Também:  Feijão tropeiro D. Maria Fernandes

Para o reitor do IFSULDEMINAS, professor Marcelo Bregagnoli, a parceria tem se mostrado muito positiva e quem ganha é o contribuinte. “Temos uma parceria muito efetiva com a Receita Federal, fortalecendo o valor público entre as instituições. Ações como essa nos enchem de orgulho por sabermos que vamos além do ensino, pesquisa e extensão, ampliando nossas ações sociais junto a sociedade”.

Processo de Transformação

De acordo com o IFSULDEMINAS, a descaracterização acontece com a retirada de etiquetas, marcas e logomarcas em evidência, e o material será reutilizado na confecção de máscaras de proteção contra a COVID-19. Além do vestuário, outros itens estão sendo destinados ao IFSULDEMINAS, como: cintos, sapatos e bonés. Esses artigos serão doados à população de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade.

Parceria pelo bem

Desde o início da pandemia, Receita Federal e IFSULDEMINAS trabalham juntos em ações sustentáveis e solidárias. Até o momento, a Receita Federal já entregou ao IFSULDEMINAS 90 mil litros de bebidas alcoólicas e mais de 2500 frascos de perfumes para a transformação em álcool em gel. Além disso, destinou 57 toneladas de tabaco para a transformação de adubo orgânico. Todo o material produzido foi doado a hospitais, entidades beneficentes e associações comunitárias de todo estado.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ALPINÓPOLIS E REGIÃO

MINAS GERAIS

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA